top of page
bewave.perfil.png

be wave.

. um blog para a cultura .

"time and space: the marrabenta solos" mostra o que diz - ou não - de nós o sítio de onde vimos

a palavra falada. a música. os movimentos. alguma dança. alguma luz. mas, mas importante e mais bonito, a mensagem e a forma como os movimentos se foram criando na segunda noite do guidance - festival internacional de dança contemporânea, em guimarães.


© paulo pacheco

um cidadão da província ultramarina de portugal, um cidadão da república popular de moçambique ou um cidadão da república de moçambique? quem é, afinal, panaibra gabriel canda?


"sou um bitonga, português, comunista e democrata. não. sou um bitonga comunista. não. sou um comunista, português, democrata. não, sou um bitonga português. não, sou um bitonga democrata. não, sou um comunista democrata. não, sou um democrata comunista".


de costas para o público, panaibra gabriel canda começa "time and space: the marrabenta solos" a questionar o público sobre quem é. questões internas que exterioriza e que fazem, espera, o público refletir. há quase que uma desconstrução de quem é ele, mas também de quem é moçambicano.


tenta contar a história de um país, então, através de movimentos, de palavras, e de música. quase como se estivesse a aprender tudo de novo e a ensinar tudo o que sabe. é, ele próprio, história.


a acabar, o bailarino tenta dar uma nova resposta à pergunta "quem sou?". talvez seja "o resto da colonização, o fracasso do comunismo ou a experiência da democracia". nada está certo e nada está errado. a história foi como foi e a transformação vai existindo. e panaibra gabriel canda não esquece o aqui e agora.


em palco, vemos também o guitarrista e compositor jorge domingo, num contraste imenso com o bailarino. toca marrabente, género musical do sul de moçambique e, em particular, de maputo, que surgiu em meados do século XX, na época áurea colonial de lourenço marques. e é também uma forma nova de a explorar e mostrar.


recorda que o guidance – festival internacional de dança contemporânea faz de guimarães a capital da dança até 10 de fevereiro. consulta aqui o programa.

Σχόλια


bottom of page