top of page
bewave.perfil.png

be wave.

. um blog para a cultura .

(festival de) rock (que acontece perto do) rio febras com limite de entradas

a edição 2023 do anteriormente chamado rock in rio febras acontece já no próximo dia 22 de julho, em briteiros, guimarães, mas, por razões que já todos conhecemos, terá algumas mudanças em relação a edições anteriores.

© direitos reservados

com um site agora criado, a organização anunciou que, a partir das 10h00 de 14 de julho, sexta-feira, será possível reservar os passes de acesso ao festival através de um link.


cada pessoa poderá reservar dois passes e, à chegada ao festival, o passe digital deve ser trocado por uma pulseira "toda gira" que dará acesso ao recinto. "modernices necessárias", escreveram nas redes sociais.

como a procura para o rock_rio febras tem sido elevada, viram-se obrigados e colocar limites na entrada do recinto, apesar de o acesso continuar a ser gratuito.


recorde que o festival viu-se obrigado a mudar de nome depois de ter sido notificado pela entidade organizadora do rock in rio lisboa, que temeu "a confusão que a semelhança entre a designação dos dois eventos pode provocar no cidadão incauto".


em comunicado, o evento vimaranense, diz que foram acusados de "concorrência desleal" e foi, por isso, "veementemente sugerido" que alterasem o nome do festival, sob pena de serem "alvo de ação legal".


o rock in rio também reagiu à polémica, demonstrande vontade de "abraçar toda a comunidade do festival que acontece around rio Febras e celebrar as diferenças e a união pela música for the better world".


"esperamos estar a contribuir para o sucesso desta vossa segunda edição! afinal de contas, é a música, as grandes causas e a alegria das pessoas que nos movem e, por isso mesmo, adoraríamos convidar todos a mergulharem no ritmo do festival no rio febras e seguir com essa mesma energia até junho de 2024, no parque da bela vista", escreveram ainda.


descubra o cartaz:


quem abre o evento são os quarta às nove, numa introdução onde se recordarão emoções do passado. apresentam-se como "um grupo de gente que pretende viajar no tempo em que a música se enamorava com as palavras para contarem histórias que ficaram gravadas na nossa memória". Logo a seguir, pedro conde é, mais uma vez, o primeiro a tomar conta dos "discos", repetindo o sucesso do ano passado.


o rock ao vivo começa depois no segundo minuto, com uma banda com origem na amizade entre os seus cinco elementos e na vontade partilhada de expressar sentimentos através da música. alberto dias vai acompanhar os festivaleiros durante o sunset.


os gaspea, um grupo fortemente influenciado por bandas icónicas como arctic monkeys, foo fighters, bush, red hot chili peppers, tom misch, the strokes e nirvana e que, recentemente, lançaram o single "ser quem sou", marcando um ponto de viragem na sua carreira musical, apresentam-se em briteiros. segue-se gordilho, que começou a sua aventura das cabines de dj na adolescência e já lá vão mais de 30 anos.


de guimarães, juntam-se ao rock_rio febras os ledher blue, dupla que tem vindo a conquistar um lugar na cena rock nacional e internacional desde que gravaram os seus primeiros temas, num estúdio caseiro construído em tempos de pandemia. juanito caminante continua a noite, sempre com o objetivo de "contar a história do rock n'roll, consumir quantidades consideráveis de espírito escocês engarrafado e fazer tábua rasa de cronologias, etiquetas e outras convenções".


smartini oferecem o último concerto da noite e são a banda que possui um percurso mais longo e intimamente ligado à história da cena rock do norte do concelho de guimarães. as suas raízes estendem-se desde a década de 90, na altura com uma forte influência do movimento grunge, que gritava a revolta daquela geração contra a sociedade. o festival encerra com um regresso de 2022: crocky girls.

bottom of page